segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Barulhos estranhos


Quando eu tinha 9 anos de idade, mudei para uma casa nova. Era uma casa de dois andares, pequena e não muito bonita, mas bem antiga. A minha mãe a havia comprado há alguns anos, mas até então só a havia alugado. Depois de uns dois meses, já havia conhecido os vizinhos, haviam muitas crianças lá, e me enturmado. Foi quando uma das vizinhas me perguntou: "Quem é que fica acordado à noite na tua casa?", "Ninguém", eu respondi, "Então como é que eu fico ouvindo barulho de porta batendo a noite toda? Eu contei o caso para minha mãe, que não deu muita importância. Eu também não ligava muito para isso, mas os vizinhos sempre diziam: "Como vocês têm coragem de morar aí?". Logo arrumamos uma empregada e essa sim morria de medo. "Quando eu estou embaixo ouço barulhos de gente lá em cima e quando estou em cima, ouço barulho embaixo", "Deve ser o cachorro", dizíamos, "Não, o cachorro fica deitado do meu lado". Ainda assim nunca ninguém se importou. Um dia, no entanto, estávamos dormindo (minha mãe era solteira, então dormíamos eu, ela e meu irmão no mesmo quarto) quando ouvimos alguém bater à porta. Não era uma batida comum, era muito forte. Sabe quando alguém já está batendo na porta há muito tempo e, impaciente, bate ainda mais forte? Era mais ou menos assim. Minha mãe foi até a porta e perguntou quem era, não houve resposta. Mais duas vezes ela perguntou e ninguém respondeu. Eu, que sou judeu, já havia pegado meu sidur (livro de orações) e rezado vários salmos. Minha mãe, então, ligou para a empregada e perguntou se ela havia batido na porta. A empregada respondeu que não. Depois de juntar coragem, as duas saíram de seus quartos e foram ver o que era. A casa estava na mais absoluta quietude. Foi então que a minha mãe contou: o antigo dono daquela casa havia sido assassinado, aparentemente pelo seu parceiro. Desde então, a mãe, o irmão e a tia dele haviam ido morar lá, mas todos saíram com medo. Até que a minha mãe comprou a casa, mas todos as pessoas para quem ela alugava também saíam dizendo que viram coisas. Nós moramos três anos nesta casa e, desde então, nunca mais tive experiências desse tipo. Particularmente, sou muito cético quanto a essas coisas. Os vizinhos no entanto, até hoje morrem de medo da casa.


Anônimo, Manaus, Amazonas.

Etiquetas: ,

4 Comments:

Blogger thais said...

Oi tudo bem!!?
Legal a história vc escreve muito bem ^^
e essa sua casa ai é da hora! é velha mais achei muito charmosa e bonita parece ate de filme...

10:59 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

olha essas fitas de asonbração não existe oq existe é o diabo que quer que a gente faça pençar que falecidos voltan para asonbrar na verdade é coisa demoniaca pois a propria biblia diz que os mortos ficão dormindo ate o dia do jugamento

10:58 da tarde  
Blogger morenita @ said...

acho isso muito estranho, mespre pensei que isso só existia nos filmes, mas afinal não . gostava de passar por uma coisa parecida x)

6:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

acredito totalmente em você, moramos eu meus pais e minhas irmãs em uma casa que nos acostumamos a presenciar fatos estranhos coisas do tipo de ver a pessoa e não só sombras, ser importunado durante o sono, as pessoas que nos visitavam ou dormiam em casa achavam até que eramos nos que fazíamos isto( algumas chegaram a conclusão que era real) , parentes que as vezes dormiam lá também relatavam estes fatos, depois de muitas tentativas conseguimos vender a casa por um preço muito abaixo do valor de mercado para conseguir sair de lá

1:42 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home